Não há bloqueio criativo para quem tem boas referências

Já ouviu falar a frase “na natureza nada se perde, tudo se transforma”? A imaginação e criatividade humana funcionam exatamente assim. Tudo que criamos têm como base algo que já foi criado.

Um exemplo clássico é a criação do avião com base nos pássaros, mas somos capazes de ir além, criando através da imaginação seres fantasiosos, como sereias, centauros, etc.

Portanto, a mente humana precisa de combustível para produzir algo novo – seja em arte, design ou qualquer área. Toda solução requer criatividade.

Não é necessário reinventar a roda em cada projeto

Ter referências para iniciar um projeto é adubar o solo para uma ideia frutificar. Estudar os parâmetros do que já existe facilita o processo criativo, pois possibilita o reaproveitamento de conceitos e mecanismos.
Ao lançar um novo modelo de avião, não é necessário aprender o mecanismo de vôo dos pássaros novamente.

Como encontrar referências?

As referências chegam até nós de duas formas: como repertório, ou através de busca intencional.

O repertório, também conhecido como “bagagem”, se constitui de todo o conhecimento acumulado, inclusive coisas que vemos em livros, redes sociais, outdoors, mas que de imediato não são identificados como uma referência. Essas informações ficam na memória, e acabam servindo como um atalho mental para contribuir com uma ideia.

É importante estar sempre antenado em diversos canais, e a diversos temas – colaborando com a composição de um background muito rico na mente.

Porém, nem sempre temos conhecimento sobre determinado tema, ou nossa bagagem não é suficiente para solucioná-lo. A pesquisa de referências se torna o principal vetor para colocar a criatividade para funcionar.

Pesquisar referências não se trata somente de observar projetos concluídos – estudar processos criativos também fornece um volume de informações relevantes. No campo do design, por exemplo, pesquisar logotipos de concorrentes ajuda a direcionar a criação, porém analisar moodboards, ou até mesmo a evolução de determinado logotipo através do tempo colabora com a concepção do projeto, aproveitando conceitos e desenvolvimento de ideias.

Mas e o bloqueio criativo?

O bloqueio criativo acontece geralmente por dois fatores: Briefing fraco, que não dá o direcionamento correto, e/ou falta de referências de qualidade. Para todos os casos, a pesquisa de correlatos é capaz de alimentar sua criatividade!

Deixe seu comentário